Pensamento, propriedade da matéria?

21/12/2021 12:28

 

“A crítica é fundamentalmente a seguinte: ainda que o conteúdo de nosso próprio pensamento, que apreendemos sem a necessidade da utilização de nossos cinco sentidos, não nos seja dado com a propriedade que aparece indissoluvelmente ligada à matéria, ou seja, a extensão, não se seguiria necessariamente daí que o pensamento consciente seja uma propriedade de uma substância em si mesma inextensa ou, o que é mais problemático, que ele seja a própria substância inextensa. Por que, voltamos a insistir, o pensamento não poderia ser uma propriedade da matéria? O dualismo cartesiano constituído a partir desse erro original implicou naturalmente algumas teses cuja demonstração é por isso mesmo problemática. São elas: a existência de Deus, a imortalidade da alma, a liberdade humana, a ausência de pensamento nos animais e a união entre alma e corpo no homem.”

 

Jonas Gonçalves Coelho, Consciência e matéria: o dualismo de Bergson

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!