Cerração no Tietê

11/09/2020 12:22

"O tempo levantou...Saí para o terreiro. O luar, claro como os luares sertanejos, punha qualquer coisa de cera pálida, cor de defunto branco, em tudo; apenas azul, como uma serpente gigantesca, via-se a cerração acompanhando do alto a sinuosidade do rio Tietê."

 

Cornélio Pires (1884-1958), jornalista, escritor e folclorista paulista, em As cruzes do mato-dentro, do livro Quem conta um conto...


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!